diagram_edited.png

Contexto

 
 

O mercado dos transportes em Almada é desenvolvido por basicamente três operadores; TST, Transtejo e Metro Sul do Tejo que não oferecem serviços adequados às necessidades dos almadenses.
Há enormes lacunas na interoperabilidade da rede, baixa capilaridade das redes referidas, paragens e estações degradadas e freguesias completamente desprovidas de serviços adequados às necessidades, como a Charneca da Caparica e a Sobreda.
O Concurso internacional lançado pela AML manteve os TST como fornecedor de transporte rodoviário, e apesar do compromisso de uma melhoria da oferta ao nível da rede e dos veículos, antecipamos que o regime de monopólio deste operador trará a breve prazo os mesmo problemas actuais: baixa qualidade de serviço.

Ação #8

Promover oferta de transportes de operadores privados.

Ação

 
 

A entrada de novos concorrentes deve ser vista como uma oportunidade para melhorar os serviços prestados e diminuição de preço.
A concorrência entre diversos “players” é a melhor forma de conseguir melhorar a qualidade, juntando a isso preços acessíveis.
A TST é hoje alvo de várias queixas pelos seus utilizadores, acreditamos que a CMA deve potenciar e pressionar a entidade gestora de transportes da Área Metropolitana a entrada de novas empresas no mercado de transportes coletivos em Almada.